domingo, 7 de dezembro de 2008

Defesa de dissertação

Defendi minha dissertação de mestrado
REFORMA POLÍTICA NO BRASIL: O DEBATE NA CÂMARA DOS DEPUTADOS (2000-2006)
Foi tranquilo, bem descontraído, pero sem perder a seriedade... bem a minha cara!
As coisas estão ficando mais difíceis. Na minha monografia os elogios foram tão rasgados... que saudades!!! Mas é melhor que a exigência aumente mesmo! Sou exagerada, as críticas não foram também tão terríveis assim. Às vezes, fico um pouco obcecada com a perfeição, mas sei que ela não existe!
Uma crítica foi a importância que é dada pelos parlamentares a este recurso do discurso no Grande Expediente. Me foi indagado se ainda é tão relevante este momento no cotidiano do parlamentar, que além de não contar com muito ouvintes ainda não é preparado pelo parlamentar, mas por seus assessores.
Respondi, baseado em literatura que me deu respaldo, que o parlamentar valoriza, sim, este momento e que não iria se expor publicamente para defender algo que fosse apenas do interesse de seu assessor. Na realidade, a crítica é bastante válida ( e vou incorporá-la em artigos que venha a fazer sobre a dissertação), pois em minha conclusão levanto a questão da falta de interesse da maioria dos parlamentares no tema reforma política, que é visto como bastante técnico. Assim, o assunto poderia ter, talvez, um interesse maior para o assessor, alguém provavelmente mais capacitado para lidar com questões "regimentais".
Outra crítica foi a "demora"em chegar na parte "original"do trabalho, ou seja, os resultados da pesquisa. Dei uma ênfase bastante grande na parte teórica, talvez por insegurança, afinal, era "apenas"uma mestranda. Bourdieu legitima meu comportamento, então tenho uma "desculpa".
De modo geral, foi muito enriquecedora a experiência do mestrado.
UFA! Agora estou mais aliviada, foi mais uma etapa importante vencida na minha vida...

Nenhum comentário: