sexta-feira, 10 de abril de 2009

Democracia na América/Democracia na Moldávia

Tudo que observei sobre a cidade de Cambridge, MA valeu para a semana passada. Essa semana conheci uma outra parte da cidade. Geograficamente, é o mesmo local, entretanto, bastaram os termômetros marcarem a elevação, nada sutil, da temperatura para cidade ganhar uma nova cara. De 7ºC para 17ºC!!!! Agora sim a primavera deve começar.
Brotaram pessoas nas ruas. Onde será que elas estavam antes? Certamente escondidas em algum café/livraria ou Starbucks. Agora todas andam pelas ruas, num clima descontraído. Impressionante! O ar sisudo das pessoas deu lugar a uma festividade que não achei que fosse encontrar por aqui.

Os artistas que cantavam no metrô, subiram!! A cidade está mais alegre, mais musical...As tribos apareceram, a do hiphop, uns punks, e os intelectuais, obviamente, continuam. Os restaurantes e bares que antes eram indoor, agora, meio timidamente, já começam a colocar mesinhas do lado de fora. A sorveteria J.P. Licks está completamente outdoor.

Cada dia descubro algo novo também. Na livraria Harvard Book Store, há palestras gratuitas sobre diversos temas, quase todos os dias. Infelizmente, meu schedule não casou com nenhuma de meu interesse. Os museus também são grátis aos sábados, mas a maioria está trocando a coleção, por enquanto.

O mais interessante, contudo, é o engajamento político que a cidade demonstrou. Pessoas do GreenPeace, Anistia Internacional (e outras ONGs) panfletando, e o que me chamou muito a atenção, uma manifestação, discreta porém enfática, reivindicando democracia na Moldávia.

Conheci umas meninas de lá e elas me explicaram o porquê disso. Vou tentar resumir.

No dia 5 de Abril, 2,5 milhões de eleitores foram chamados a eleger os 101 membros do Parlamento de um dos menores países da Europa, a Moldávia, que tem a a Romênia e a Ucrânia como países limítrofes. O resultado da contagem original, na qual o governista Partido Comunista da Moldávia venceu com cerca de 50% dos votos, foi contestado por grande parte da população que não apoia o comunismo. Segundo uma das moças com quem conversei, as eleições foram marcadas por fraudes, um exemplo disto seria o seu nome ter sido elencado como uma das pessoas votantes, já que ela reside nos EUA há um longo período.

Vladimir Voronin, presidente do país, ordenou a recontagem depois de violentos protestos terem deixado mais de 90 pessoas feridas. Contudo, foi revelado que não houve nenhuma irregularidade no pleito. Chegou-se aos mesmos números da primeira contagem, que assegurou aos comunistas 60 dos 101 assentos no Parlamento.

Mesmo que estes números sejam verdadeiros, representam uma pequena margem para se governar um país sobre os preceitos de um sistema de governo que parece, segundo o que as manifestações mostraram, não possuir muita legitimidade entre uma grande parte da população.

Fechando os parênteses.

Estou começando a gostar mais de Cambridge, mais especificamente Harvard Square. Todo esse ativismo político me faz lembrar de uma importante obra que explica o espírito cívico dos norte-americanos, com base na origem da constituição dos Estados Unidos como país. O pensador francês Alexis de Tocqueville, na obra Democracia na América, mostrou a estreita relação entre democracia e existência de formas associativas livres e autogovernadas. Deste estudo, começou a ser largamente utilizado o termo "associativismo" em diversos outros trabalhos sobre democracia.
O associativismo, em larga medida, é entendido como o processo de reunião, de forma regular, mas não necessariamente contínua, para tratar de demandas comuns. O alvo é a busca de um consenso sobre divergência.

A democracia ideal pressupõe a participação pública e o espírito cívico dos cidadãos (e o associativismo faz parte deste espírito).
Por isso, por mais que se tente deslegitimar a dmeocracia americana por conta da polêmica eleição de George Bush e do "complicadíssimo" sistema de votação, em que se pese a perspectiva associativista, estamos em um país altamente democrático.
Isso é minha opinião, se alguém discorda, sinta-se à vontade para mostrar outro ponto de vista, afinal, estou nos EUA e não na Moldávia.

2 comentários:

Patricia disse...

Oi Nath, nossa esse seu post do dia 10 de abril ou seria 10 de maio e o blogger ficou louco? Bem, de qualquer forma quero dizer q fico contente em ver noticias de quem está longe isso é mto bom... e claro o inverno vai indo embora a primavera aparecendo e as pessoas menos fechadas e mais alegres sim, o inverno no hemisfério norte como pude comprovar deixa as pessoas bem mais na delas nao é como o brasileiro q td é motivo de festa kkk. Bons estudos pra vc e aproveite bem essa cidade q pelo q sinto em suas palavras respira estudos, cultura, futuro e nerds kkk brincadeira. Se cuida!! Bjss (obs: se tiver alguma dica de buenos aires p/ me mandar nos seus pouquissimos tempos livres me manda por e-mail estou indo dia 15/06 com minha familia.)

Nathalia disse...

Comecei a escrever 10 de abril e esqueci, ai só postei agora!!
Bjs